18 de dez de 2012

Meu cu chama Márcio

E minha buceta também.



Qual é o problema?


Eu sempre fui muito assim sabe? As pessoas são tão interessadas em vestir uma capa de moralidade, um pito de ética, sorrisinho meigo. Eu sempre quis que a humanidade se fodesse e quanto mais longe a pessoa fedida do metro ficasse de mim, melhor.

Não tenho dom para caridade. Não sou fã de ninguém e não sou nem um pouco afim de ajudar a humanidade ou a sociedade a ser melhor.

Sou um bom rapaz. Distribuo risos e bons momentos, sou lembrado pela voz alta, jeito único, palavras diferentes e frases marcantes. Isso também já me soou muito negativo, e eu, por minha vez quis que se fodesse tudo e todos.

Não faço votos de aniversário, e nem seguro o elevador se estiver com pressa. Isso não é falta de educação, não me faz indelicado, tampouco um cara ruim, só não sou hipócrita e me respeito. Respeito as minhas idéias, minhas opiniões, meus gostos e tudo aquilo que vem de mim para mim.

Eu não passo os outros na minha frente para parecer melhor. Este sou eu, este sempre foi eu.
Quando eu estudava, eu batia boca com os professores, em casa, sempre fiz tudo do meu jeito. No trabalho não é muito diferente... Brigo por aquilo que acredito ser bom pra mim, sou um eterno replicante. Meus papos são longos, minhas idéias são enormes arvores onde suas ramificações vão e vão, não sou básico e por ser grande, costumo indomodar. Incomodar talvez não seja a palavra correta, aliás, sou um bom observador, e abro a minha boca apenas nos momentos convenientes, mas eu diria que chamo atenção.

Muito mais da metade das pessoas que já me conheceram não gostaram e/ou não gostam de mim, diferente do restante que me têm como referência para alguma coisa ( e tem coisa... ). Comigo nunca existiu meio termo, eu gosto de números redondos, de horas precisas, de regras claras e palavras mais ainda. Eu sou o meu fã, porque eu me defendo, eu me arrisco em pról das minhas próprias idéias, eu faço tudo para me sentir bem e também sou capaz de me divertir quando estou só.

Eu sei que pareceu meio egocêntrico, individualista e extremamente arrogante. O gostoso de abrir o Word e deixar que os dedos falem por sí é que, embora eu pareça sim, tudo isso, muitas pessoas que vão ler isto daqui irão captar a mensagem da maneira mais pertinente e cabível, com as minhas palavras, minhas figuras de linguagem e até com o tom de voz que eu emprego em algumas colocações.... E se isso não acontecer? Ah, daí foda-se. Eu escrevo pra mim e não pra vocês mesmo seus putos
Web Analytics